Contabilidade, Fiscalidade

Economia portuguesa: perspetivas após a pandemia

1 de novembro, 2021
Economia portuguesa: perspetivas após a pandemia

Portugal está numa trajetória de recuperação económica que se espera sólida e consistente. Depois de uma crise com contornos e dimensões históricas (a atividade decresceu mais de 8% em 2020), a economia portuguesa deverá alcançar os níveis pré-pandemia durante o próximo ano.

Economia portuguesa está a recuperar de forma rápida

Se por um lado a economia portuguesa – à semelhança do resto da Europa – foi fortemente afetada pela pandemia, por outro, as perspetivas de crescimento são otimistas.

Uma das características desta crise foi a forma diferenciada como afetou os vários setores de atividade. De facto, em alguns segmentos já se ultrapassaram os níveis pré-pandemia e há dinâmicas muito positivas que auguram boas evoluções futuras. Por exemplo, as exportações de mercadorias já superam níveis de 2019 e as empresas portuguesas têm ganho quota de mercado, sinal de reforço da competitividade externa.

Desafios e oportunidades de crescimento da economia portuguesa

É certo que o impacto significativo da pandemia na economia portuguesa, nos empregos ou rendimentos é incontestável e há ainda que contar com potenciais impactos dos estrangulamentos das cadeias de oferta, que já limitam a atividade de alguns parceiros europeus. Os riscos continuam a existir, associados à pandemia, mas também existe outra certeza: esses riscos já estão atenuados.

Num panorama global, onde tudo está somado, as perspetivas são positivas, de crescimento sustentado e equilibrado.

A médio prazo, e no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), há ainda que contar com um impulso único, uma oportunidade para reforçar o crescimento potencial, designadamente aplicando de forma eficiente os fundos europeus – Next Generation EU, (13,9 mil milhões de euros, ou seja, 6.5% do PIB, sendo mais de metade programados para 2022 e 2023), que pretendem aumentar a resiliência da economia, apoiar a transição verde e a digitalização.

O Plano de Recuperação e Resiliência: o que é?

Trata-se de um programa de aplicação nacional, com um período de execução excecional até 2026, que vai implementar um conjunto de reformas e de investimentos destinados a repor o crescimento sustentado da economia portuguesa. Simultaneamente, o PRR visa reforçar o objetivo de convergência com a Europa ao longo da próxima década.

O PRR é um plano de investimentos para todos os portugueses e está assente em três dimensões estruturantes: Resiliência; Transição Climática e Transição Digital.

Apoie-se num parceiro de confiança

O BPI disponibiliza equipas especializadas no acompanhamento e prestação de serviços financeiros, sempre disponível para aconselhar e apoiar as empresas portuguesas.


Sobre o autor

Paula Carvalho | Economista-Chefe do Banco BPI

Licenciatura em Economia e pós-graduação em Gestão – MBA (Master in Business Administration) pela Universidade Nova de Lisboa. Desde 2013, é responsável pelo Departamento de Estudos Económicos do BPI, monitorando em particular a economia portuguesa e os mercados financeiros. No âmbito da sua função, participa na definição da estratégia do Banco e também na elaboração de exercícios de planeamento e regulação.

Autor do artigo:
Paula Carvalho
Data de criação do artigo:
1 de novembro, 2021
Tags:
Partilhe este artigo:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Newsletter

Subscreva a nossa newsletter e acompanhe todas as novidades.

Ao subscrever concorda com a nossa Política de Privacidade.

Outros artigos do seu interesse